Loading...

Brasil

By |2020-10-27T14:37:46-04:00maio 3, 2018|
0

projetos ativos
Outubro 2020

$0

investimento da IAF

0

indivíduos beneficiados
diretamente

Áreas Temáticas

Projetos no Brasil

em ordem cronológica reversa

2019-09-29T10:21:41-04:00

2019 – RFJS

Rede de Fundos para Justiça Social (RFJS), é uma rede de fundações comunitárias comprometidas em investir no desenvolvimento social e econômico e em fortalecer a filantropia comunitária no Brasil.

Ver mais ›

2019-08-30T11:02:12-04:00

2019 – CMN

Casa da Mulher do Nordeste (CMN), apoia um programa abrangente que tem como objetivo fortalecer mulheres e jovens na comunidade do Passarinho, no Recife.

Ver mais ›

2019-09-01T11:02:06-04:00

2019 – GTP+

Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo (GTP+), oferece treinamentos voltados aos direitos humanos e civis, bem como à produção e comercialização de alimentos para grupos vulneráveis do Recife.

 Ver mais ›

2019-08-28T13:23:11-04:00

2019-COMRADIO

Instituto Comradio do Brasil (COMRADIO), fortalece mulheres cegas ou deficientes visuais no Piauí por meio de treinamentos vocacionais, as preparando para ter acesso a diversas oportunidades que geram renda, como a de atuar como consultoras em empresas e instituições que estão adaptando seus produtos a fim de melhorar a acessibilidade dessa população.

Ver mais ›

2020-08-10T16:58:14-04:00

2018-CBMA

A Cáritas Brasileira Regional do Maranhão (CBMA) trabalha para fortalecer uma rede de base que conecta produtores agrícolas rurais e urbanos para criar novos mercados para as culturas tradicionais.

Saiba mais ›

Load More Posts

Pessoal trabalhando com projetos no Brasil

¡Comparte información sobre el desarrollo comunitario!

Notícias e histórias relacionadas

Perguntas frequentes

Quem administra a IAF?2020-11-16T10:45:05-05:00

Somos administrados por um conselho de diretores bipartidário nomeado pelo presidente dos Estados Unidos e confirmado pelo Senado dos E.U.A. Os membros são originários tanto do setor privado quanto do governo federal. O conselho indica um presidente, que atua como nosso principal executivo.

Como vocês são financiados?2020-11-16T10:50:55-05:00
  • O Congresso dos E.U.A. destina fundos diretamente para a IAF todos os anos. Isso representa nossa maior fonte de fundos.
  • Também recebemos transferências entre agências para tratar de prioridades estratégicas dos E.U.A. usando nosso modelo exclusivo de desenvolvimento comunitário.
  • Diversificamos nossas fontes de fundos através de parcerias estratégicas com os setores corporativo e filantrópico.
  • Nossos parceiros donatários mobilizam recursos locais para cada doação que custeamos. Geralmente, a quantidade de recursos que eles empenham excede os dólares de contribuintes dos E.U.A. que investimos. Ao solicitar uma contribuição em contrapartida, maximizamos a sustentabilidade e garantimos que as comunidades se responsabilizem pela resolução dos desafios locais de desenvolvimento.
  • Aceitamos doações privadas e dedutíveis de impostos para fazer progredir o desenvolvimento comunitário na América Latina e no Caribe. Você pode fazer doações para nós diretamente.
O que diferencia vocês de outras agências ou financiadoras?2020-11-16T10:55:06-05:00

Um grupo bipartidário de visionários no Congresso dos E.U.A. fundou a IAF há mais de 50 anos para tratar de sua preocupação de que o governo dos E.U.A. precisava ter um melhor desempenho no direcionamento de auxílio de desenvolvimento a países estrangeiros para os povos mais vulneráveis e carentes das Américas. Eles queriam uma agência alinhada com as prioridades das políticas estrangeiras dos E.U.A. e complementares em relação a canais existentes dos E.U.A. de assistência a países estrangeiros.

Aprimoramos um modelo de desenvolvimento que nos diferencia das seguintes maneiras:

  • Com quem trabalhamos. Alcançamos organizações comunitárias e da sociedade civil que trabalham no nível comunitário e geralmente estão apenas começando a atuar. Destinamos fundos para áreas e populações carentes.
  • Quem dirige o processo. Colocamos as pessoas locais no centro, catalisando suas próprias soluções. Acreditamos que o progresso do desenvolvimento tem melhor sustentação quando as organizações locais estão de posse das ideias e as colocam em ação.
  • Como executamos o financiamento. Fornecemos pequenas quantidades de verbas diretamente às organizações locais em vez de contratados internacionais ou governos estrangeiros.
  • Como nos adaptamos. Podemos rapidamente ativar ou desativar, articular ou acelerar fluxos de verbas conforme as condições do cenário mudam, o que é raro nos modelos tradicionais de assistência a países estrangeiros.
  • Como economizamos dinheiro para maximizar os fundos disponíveis para as doações. Mantemos os custos baixos ao mantermos uma operação enxuta com uma equipe de menos de 50 funcionários, sem escritórios em países estrangeiros. Também compartilhamos serviços administrativos principais com outras agências. Isso resulta em uma taxa bastante baixa para operar a fundação – somente 8%.
  • Como responsabilizamos nossos parceiros donatários por resultados sustentáveis. Realizamos um engajamento intenso com nossos parceiros donatários, construímos relacionamentos baseados na confiança e nos conectamos com eles para criar oportunidades de aprendizagem entre pares e parcerias entre setores. Exigimos que eles reportem seu progresso nas metas dos projetos a cada seis meses e que auditem suas finanças regularmente. Desafiamos nossos parceiros continuamente em direção à sustentabilidade e à autoconfiança.

Nossa estrutura administrativa bipartidária público-privada garante que nos beneficiemos da experiência do setor privado e trabalhemos pelo interesse nacional de longo prazo dos E.U.A. Nosso trabalho com parceiros donatários promove:

  • empoderamento econômico
  • paz e segurança
  • inclusão na governança democrática local
  • resiliência comunitária a choques ambientais, econômicos, sociais e políticos.
Uma doação tão pequena como uma de US$ 50.000 pode realmente fazer alguma diferença?2020-11-16T11:01:52-05:00

Sim. Veja como:

  • Sabemos como selecionar nossos parceiros donatários. Apoiamos grupos comunitários com boa reputação em atividades de autoajuda participativa, que estão dispostos a investir seus próprios recursos. Aprovamos todos os nossos parceiros através da embaixada dos E.U.A. no país respectivo antes de nos comprometermos com o financiamento.
  • Respondemos a iniciativas locais. Não impomos projetos de cima para baixo; em vez disso, os construímos com base nas ideias e no compromisso das pessoas locais.
  • Encorajamos processos financeiramente sustentáveis, com renda gerada pelos parceiros donatários ou com recursos alavancados dos setores público e privado.
  • Apoiamos abordagens inovadoras que sejam replicáveis e adaptáveis em outras situações. Outras comunidades aprendem esses métodos e multiplicam o impacto das atividades do projeto.
O que é desenvolvimento comunitário/de base?2020-11-16T10:58:29-05:00

Usamos o termo “desenvolvimento comunitário” para o processo em que as pessoas carentes se organizam localmente para melhorar o bem-estar de suas famílias, comunidades e sociedades. O que essas pessoas elaboram é geralmente holístico, abordando múltiplas necessidades sociais, culturais e econômicas. Acreditamos que uma abordagem orientada pelas pessoas é essencial para promover tanto economias prósperas e equitativas quanto sociedades democráticas. Para colocar as pessoas em primeiro lugar, enfatizamos a participação e as redes comunitárias e investimos em tornar as organizações mais fortes e mais representativas em relação às comunidades a que servem.

Quais são seus princípios orientadores?2020-11-16T11:06:24-05:00
  • Investir nas pessoas e em suas organizações
  • Canalizar fundos diretamente para a sociedade civil
  • Promover o empreendedorismo, a inovação, a inclusão e a autoconfiança
  • Fortalecer as práticas democráticas
  • Empoderar as pessoas vulneráveis para que resolvam os desafios que enfrentam
  • Tratar os parceiros com respeito e empatia
O que vocês conseguiram realizar?2020-11-16T11:13:11-05:00

Temos sido líderes no reconhecimento de iniciativas comunitárias como um fator crítico no desenvolvimento sustentável da América Latina e do Caribe. Desde 1972, temos apoiado mais de 5.400 organizações em 32 países. Ao longo do tempo, temos investido consistentemente na produção alimentar e na agricultura, no desenvolvimento empresarial, educação e treinamento, engajamento cívico e inclusão social e econômica.

Juntamente com nossos parceiros donatários, testamos modelos participativos e economicamente rentáveis para o desenvolvimento social e econômico. Esses modelos têm resultado em empreendimento autossustentáveis e têm sido replicados e expandidos por agências governamentais e de grandes doadores, melhorando as condições de centenas de milhares de famílias carentes de todo o hemisfério.

Mais especificamente:

  • Nosso modelo de financiamento de iniciativas comunitárias locais, em vez de indivíduos ou organizações internacionais, veio a ser reconhecido como uma melhor prática de desenvolvimento.
  • Fornecemos financiamento sustentado e apoio técnico a organizações comunitárias de maneiras que, de acordo com nossos parceiros donatários, as outras organizações não fazem. Cerca de 30 por cento de nossos novos parceiros donatários nunca receberam apoio nem do governo dos E.U.A. nem de um doador internacional.
  • Nossas trocas de compartilhamento de conhecimento entre parceiros donatários criaram um ambiente capacitador para a disseminação de inovações baseadas no campo.
  • Ao apoiar setores filantrópicos locais, criamos as condições necessárias para reduzir a dependências das organizações da América Latina e do Caribe em relação ao auxílio dos E.U.A. para países estrangeiros, respondendo a nossa missão original e às críticas comuns à assistência a países estrangeiros.
Quais são os resultados do financiamento da IAF?2020-11-16T11:15:37-05:00

O desenvolvimento comunitário funciona. Além de engajar as pessoas na melhoria de suas próprias condições, ele também gera uma cidadania responsável. Para medir o impacto de nosso investimento, monitoramos os resultados de nossos projetos sistematicamente usando indicadores elaborados para mensurar seus resultados tangíveis e a capacidade cívica de indivíduos, organizações e comunidades.

Durante nossa história de 50 anos, alcançamos muitos marcos concretos, incluindo:

  • Financiamos o primeiro programa de microcrédito da América do Sul quase uma década antes da fundação do Banco Grameen de Bangladesh, que popularizou a ideia de microfinanciamento para desenvolvimento comunitário.
  • Investimos em associações de agricultores, artesãos e outros produtores para refinar seus produtos, escalá-los, comercializá-los efetivamente e exportá-los. Por exemplo, El Ceibo, uma federação de agricultores de subsistência da Bacia Amazônica da Bolívia, tornou-se a primeira organização do mundo a exportar cacau orgânico e chocolate para mercados internacionais de alto padrão. Hoje, é uma das maiores exportadoras de chocolate da Bolívia.
  • Criamos uma organização de associação de fundações corporativas da América Latina, a RedEAmérica. Indo além das esmolas de caridade, ela se tornou uma líder regional na canalização de investimentos do setor privado para projetos de desenvolvimento dirigidos a comunidades. Hoje, ela é uma entidade independente com 80 membros em 13 países.
  • Como uma das primeiras financiadoras internacionais a financiar organizações de afrodescendentes nos anos 1970, assumimos uma papel de liderança ao encorajar o trabalho dessas organizações de promover os direitos, o reconhecimento e a inclusão das pessoas de ascendência africana. Nossos parceiros donatários defenderam a inclusão dos afrodescendentes nos censos de vários países, como Uruguai, Paraguai, Brasil, Argentina e Peru. Com o apoio da IAF, um parceiro donatário hondurenho garantiu uma resolução das Nações Unidas que proclamou o período de 2015-2024 como Década Global das Pessoas de Ascendência Africana.
  • Fizemos uma parceria com organizações de diáspora baseadas nos E.U.A. iniciada em 2001 para alavancar fundos de desenvolvimento em seus países de origem, muito antes do campo de desenvolvimento internacional se mover nessa direção.
Go to Top